Associação de games divulga relatório sobre mercado no Rio Grande do Sul

A Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais do Rio Grande do Sul – ADjogosRS, entidade gestora do Arranjo Produtivo Local de Jogos Digitais do Estado do RS – APL Games RS, completa três anos neste ano e divulga dados sobre o cenário das empresas associadas no mercado de games do Rio Grande do Sul (dados compilados de 2013 a 2015). O estado é pioneiro na produção de games no Brasil, estando em segundo lugar, depois de São Paulo.

 Conforme levantamento, o faturamento das empresas em 2015 foi de R$ 6,5 milhões, um crescimento de 103% em relação a 2013, ano de fundação Associação. O aumento ocorreu devido ao crescimento da produção de jogos de prestação de serviço e propriedade intelectual (jogos próprios). Em 2013, 80% das empresas dedicavam a sua produção a prestações de serviços e somente 20% a propriedade intelectual. Em 2015, esses índices foram de 41,55% de prestação de serviço e 58.45% de propriedade intelectual. Foram 77 jogos produzidos no ano pelas 30 empresas associadas, um crescimento de 130% em relação a 2013, que teve 33 jogos.

Ivan Sendin Silveira, diretor executivo da ADjogosRS, destaca essa mudança de comportamento. “As empresas estão fazendo a escolha de investir maior o seu tempo e dinheiro na sua propriedade intelectual. Um dos fatores se deve ao crescimento na maturidade das empresas em conseguirem planejar a gestão dos investimentos de Prestação de Serviços e gerarem lucros para investimento nos games próprios”. Conforme Carlos Idiart, Presidente da ADjogosRS “o aumento do dólar também impactou positivamente para as empresas desenvolvedoras na venda de seus jogos. Já que os jogos são voltados para venda no exterior”, explica.

O bom momento do mercado é refletido na participação das empresas em programas internacionais. Oito empresas gaúchas associadas fazem parte do Programa de Incubação da Sony ou da Microsoft e duas das quatro empresas que foram para o GameFounders, maior programa de aceleração de Startups de Games do mundo, também são do RS. O sucesso dos jogos com o público consumidor também é ouro indicador. São exemplos de jogos desenvolvidos por empresas gaúchas que tiveram bom desempenho em 2015: Toren (50 mil downloads – PC e Console); Starlit (5 Milhões de downloads – Mobile); Letra de Ouro (500 mil usuários no Facebook) e Horizon Chase. Todos esses jogos tiveram investimento próprio e já obtiveram retorno gerando lucro para as empresas investirem em novos produtos.

Em relação ao perfil das empresas desenvolvedoras de games do RS, a ADjogosRS identificou a existência de 80 empresas, sendo 30 associadas a entidade. São empresas jovens e pequenas, com tempo de vida entre 1 a 8 anos, e média de 2 a 6 profissionais, oriundas, em sua maioria, de Porto Alegre e Região Metropolitana, além de Pelotas, Gramado e Santa Maria.  Com uma média de 10 jogos desenvolvidos por ano em diferentes plataformas, a maior parte das empresas desenvolve para mobile (Android e IOS), seguidos por PC, consoles e web.

As empresas que responderam a pesquisa da ADjogosRS geram 350 empregos, sendo 55% de profissionais fixos e 45% de freelances. Destes empregos gerados, 180 profissionais atuam diretamente com o desenvolvimento de games e 84% deles possuem graduação ou pós-graduação, sendo 40% com formação especifica em jogos digitais. Os clientes que as empresas da associação trabalham se expandem para outras regiões do país como SP; PE; DF; RJ; SC; AM; MT; PR e internacionalmente em países como Estados Unidos, Finlândia e Áustria.

Power up, evento de jogos digitais acontece nesta quinta, 19 de maio, em Porto Alegre

A Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais do Rio Grande do Sul – ADjogosRS, entidade gestora do Arranjo Produtivo Local de Jogos Digitais do Estado do RS – APL Games RS, em parceria com a empresa associada Souking, realiza a 4ᵃ edição do evento Power Up, no dia 19 de maio, no UniRitter (Rua Orfanotrófio, 515), em Porto Alegre. O evento promove palestras das 19h às 22h com empresas, análises de jogos criados por estudantes do Rio Grande do Sul e um concurso.

Com o objetivo de promover a inovação e formação dos criadores, além de aprimorar os portfólios dos estudantes de jogos digitais no estado por meio da avaliação de seus projetos, o evento contará com o Concurso Souking-Power Up. Serão julgados, através da avaliação de empresas associadas e do voto popular, jogos em duas categorias: Melhor Jogo Ludum Dare 35 desenvolvido no RS e Melhor Jogo Acadêmico desenvolvido no RS. As votações ocorrerão exclusivamente pelo site da Souking.

Podem participar do concurso pessoas com idade acima de 16 anos completos, desde que sejam residentes no estado do Rio Grande do Sul. O participante também precisa estar interessado em ser parte de uma equipe de, no mínimo, 2 integrantes, sendo um deles o responsável pela criação do jogo.

As inscrições ficam abertas até o dia 06 de maio, às 23h59 e devem ser realizadas no site da Souking (www.souking.com.br/inscricao-powerup). No ato da inscrição, o representante deve informar um nome fictício dado a equipe, quantidade de membros e seus respectivos nomes. O concurso terá uma semana de duração, com a votação popular indo ao ar no dia 11 de maio e encerrando-se no dia 18. O primeiro colocado receberá um troféu de melhor jogo em sua respectiva categoria, além de um certificado de participação. O certificado também será dado ao 2º e 3º colocado.

Associação gaúcha de games oferece capacitação para empresas associadas

A Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais do Rio Grande do Sul – ADjogosRS, entidade gestora do Arranjo Produtivo Local de Jogos Digitais RS – APL Games RS, oferece, a partir do dia 20 de maio, uma capacitação para seus associados. O processo, que contará com a participação de 20 empresas associadas, terá duração de 12 meses e tem como objetivo fomentar a produção e o planejamento empresarial nos desenvolvedores.

“Será um desenvolvimento baseado em mentorias. As empresas entram com uma ideia que será desenvolvida com a ajuda dos mentores durante todo o processo de capacitação”, exalta o Presidente da ADjogosRS, Carlos Idiart. Dentre os mentores que já estão confirmados está Eivar Rojas, da desenvolvedora Efecto, responsável por jogos como ARK e Chaves Kart, que irá falar com os associados sobre outsourcing. Também está confirmada a participação de Maycon Souza, da desenvolvedora Lune, que conversará sobre advergames.

Os temas das conversas serão relacionados às temáticas do dia-a-dia da produção. “Abordará desde a escolha do que a empresa deseja ser, quais caminhos elas podem tomar para crescer, até negociar através de pitchs (apresentação rápida do negócio) para investidores, publishers entre outros”, explica o Diretor Executivo da ADjogosRS, Ivan Sendin Silveira.

O cerne do curso é dar aos associados experiência através do diálogo e trabalho conjunto com pessoas que já possuem história na indústria, e sabem os caminhos a serem ou não seguidos. “Esperamos aumentar a maturidade das empresas. Temos muitos nomes grandes e consolidados aqui, mas, mesmo assim, são empresas novas. É um mercado muito novo no Brasil, e que bate de frente com empresas do exterior que possuem 20, 30 anos de história”, afirma Idiart.

O Presidente da ADjogosRS espera que, com o curso, as empresas possam afinar ainda mais os seus processos e que consigam entender melhor a forma de trabalhar a partir de suas experiências. “Em suma, será uma experiência fundamental para o crescimento da nossa indústria aqui no Estado”, conclui. A capacitação será viabilizada com verba de edital promovido pela Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI) do governo do estado do RS.

Associação Gaúcha de games estará presente no Gamepólitan 2016, em Salvador

A Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais do Rio Grande do Sul – ADjogosRS vem estreitando suas relações não só com os criadores de jogos, mas também com outras associações espalhadas pelo Brasil. O contato com a BIND – Bahia Indie Game Developers – rendeu um convite para que a ADjogosRS leve sua experiência de trabalho para o nordeste.

No próximo dia 15 de maio, o diretor executivo da ADjogosRS, Ivan Sendin Silveira, participará de uma palestra durante a quinta edição do Gamepólitan – Festival de Jogos, em Salvador, Bahia. O evento acontece nos dias 14 e 15 no Parque de Exposição de Salvador, com mais de 80 horas de palestras, debates, jogos abertos, estandes de vendas e campeonatos de jogos. Além de contar com convidados populares entre os fãs de jogos, como Authentic Games e Castro Brothers.

A temática da palestra será “ADjogosRS – Importância de uma Associação e a Realidade do Rio Grande do Sul”. “As associações regionais são uma excelente forma de contribuir para esse fomento, pois ajudam a organizar o ecossistema regional e com isso filtrar, de maneira objetiva, os problemas e ações que precisam ser tomadas para a evolução daquele mercado”, destaca Ivan. É justamente esta experiência vivida na ADjogosRS que será levada ao público no Gamepólitan. “Estamos sempre de braços abertos para os Estados virem conversar com a gente e compreender como funciona uma associação de games”, conclui.

A influência do trabalho executado pela ADjogosRS ao longo de seus três anos de atuação é notável. Conforme levantamento, o faturamento das empresas em 2015 foi de R$ 6,5 milhões, um crescimento de 103% em relação a 2013, ano de fundação da Associação. “A Associação hoje, sem dúvida, influenciou diretamente nesse resultado. Se somos considerados um dos polos de games no país é porque junto com as empresas, universidades e o governo alinhamos diversas ações que organizam desde o aprendizado até a formação de profissional que irá trabalhar em uma empresa”, exalta Ivan.

Empresas gaúchas fazem parte de programas de aceleração internacionais

Fazer os projetos funcionarem de maneira mais rápida e dinâmica, este é o principal objetivo dos programas de aceleração voltados para a criação de jogos digitais. Recentemente, três empresas gaúchas associadas ao ADJogosRS tiveram a possibilidade de participar da Game Founders, considerada a maior aceleradora do mundo. Além da Cupcake e da Hammerfist, que faz parte do atual grupo de selecionados, está a Imgnation Studios, de Santa Maria.

“Cada aceleradora tem um programa específico, mas o objetivo de todas é fazer as coisas andarem mais rápido, através de mentorias com pessoas da indústria, investimento, network com publicadoras e investidores, entre outros”, destacou o Fundador da Imgnation Studios, Orlando Fonseca Júnior.

Orlando, que também é vice-presidente da ADJogosRS, destaca o foco total e imersão no projeto que ocorrem durante os três meses que a empresa faz parte de um projeto como a Game Founders, além da possibilidade de contato com novas experiências de criação. Recentemente, a Imgnation passou a integrar a Boost VC, uma aceleradora do Vale do Silício que tem como foco empresas de realidade virtual.

A tecnologia é novidade recente do mercado, sendo considerada por Fonseca como uma mudança de paradigma semelhante à popularização dos smartphones, e que já faz parte da agenda de trabalho da Imgnation. “Ser pioneiro no desenvolvimento de realidade virtual significa estar na frente (em termos de aprendizado) para quando o mercado for realmente estabelecido. Há o risco do mercado nunca decolar, ou nunca chegar onde as previsões apontam, mas a tecnologia agora está permitindo coisas pela primeira vez, e o crescimento do mercado de realidade virtual e realidade aumentada tem muito potencial”, explicou.

Para Orlando, trabalhar com uma nova ferramenta aumenta as chances de inovação. “O medo de errar, que muitas vezes paralisa certas empresas ou profissionais, nesse momento tem que, obrigatoriamente, ficar de lado”. Fonseca foi convidado para participar do atual grupo de palestrantes que faz parte da Game Founders, na Malásia. “Minha palestra não foi sobre Oculus, nem sobre VR. Foi sobre sobrevivência. A importância de se continuar produzindo e achando formas de ficar vivo, como um dos pontos mais importantes para evoluir e, eventualmente, encontrar sucesso na indústria”.

Atualmente, a Imgnation Studios está em processo de desenvolvimento de um jogo próprio, que irá misturar elementos de corrida e combate, para sistemas de realidade virtual. O game está sendo desenvolvido para as principais plataformas de VR, como HTC, Vive, Samsung Gear VR, PlayStation VR e Oculus. A empresa, que está financiando o jogo totalmente, já possui uma parceria estabelecida com a Samsung, onde eles serão parceiros de publicação da versão para o Gear VR.