Desenvolvimento do Mercado de Jogos no RS: Reunião entre Associação e Governo projeta novas ações

O último dia 13 de dezembro de 2019 foi uma data de suma importância para a indústria de desenvolvimento de jogos do RS. Representantes da ADJogos (presidência, diretoria e conselho) reuniram-se com o governador do Estado e os principais representantes da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT), da Secretaria da Cultura (SEDAC) e da Secretaria de Desenvolvimento e Turismo (SEDETUR).

O principal objetivo da reunião foi descobrir ações que poderiam ser realizadas para fins de desenvolvimento da indústria de jogos local. Além disso, a reunião objetivou a meta de deixar governo e governador a par dos principais números levantados pela associação. Meta esta que foi cumprida com muitos detalhes, deixando todos cientes do importante papel do RS na indústria nacional.

Os dados foram apresentados pela ADJogos e pela SICT, com retorno positivo por parte do governo, tendo o governador demonstrado interesse em apoiar o cenário. Dentre as possíveis ações levantadas estão a criação de um CNAE específico da indústria, o que favorece a melhor coleta de dados específicos do mercado, uma organização fiscal com impostos específicos e não concorrentes com outras indústrias, maior aproximação ao BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul), e possivelmente maior inclusão de jogos como tema de editais.

Uma das ações de maior destaque fica por conta da formação de um programa setorial, chamado provisoriamente de Grupo Gaúcho de Games. O programa visa identificar um setor específico para a indústria de desenvolvimento de jogos, criando um selo de benefícios específicos para as empresas participantes da associação, com investimentos anuais. Este grupo é formado pelas secretarias participantes da reunião e contemplará ações relacionadas às mesmas. O programa terá auxílio da ADJogos na criação e organização, e será constantemente mentorado pela associação.

Investimento internacional com retorno positivo

Dentre os números apresentados, foi reforçada a situação das missões internacionais e a contrapartida retornada pelas empresas com produtos definidos ao governo. Em 2018, foram cerca de R$ 25 mil investidos pelo governo para programas que incluem as missões internacionais de negócios em alguns dos eventos mais renomados. O valor retornado em 2019 pelas empresas da associação com negócios fechados nestas missões foi de R$ 500 mil. Para o próximo fechamento de ano a expectativa é que de R$ 30 mil investidos o retorno seja de aproximadamente R$ 1 mi, o que reforça a importância do investimento nestas ações.

Redação: Mau Salamon

 

Desenvolvimento do mercado de jogos no Estado é tema de encontro

O secretário-chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, e o secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia, Luís Lamb, acompanhado de assessores da Secretaria de Cultura, estiveram em reunião na tarde desta quinta-feira, dia 29, com representantes da Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais do Rio Grande do Sul. No encontro foi apresentada a atuação da entidade, além de uma proposta de parceira para elaboração de uma lei que tenha como objetivo incentivar o mercado gaúcho de games. Uma nova reunião foi definida, com a participação também da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo para auxiliar no projeto de criação do regulamento que poderá auxiliar o Estado na economia com a geração, por exemplo, de receitas e empregos .

 

Texto original: https://casacivil.rs.gov.br/desenvolvimento-do-mercado-de-jogos-e-tema-de-encontro

Mês da Consciência Negra: Um resumo da representatividade nas empresas da associação e próximos passos

Em novembro, dia 20, é comemorado o Dia da Consciência Negra, data criada em homenagem a Zumbi dos Palmares, líder negro na luta pela libertação contra a escravidão. A data se estende ao mês e nele refletimos a luta diária pela representatividade em diversas áreas da sociedade. Fato é que o negro vem conquistando mais espaço na indústria criativa, mas ainda há, e principalmente no mercado de jogos, muito a percorrer. Em uma conversa com 4 profissionais negros das empresas associadas, é possível destacar o orgulho pela representatividade e o aumento da inclusão na cultura e na sociedade, reforçado nas relações cotidianas de trabalho.

 

“Antes de mais nada, me vejo como o indivíduo que eu sempre vi. Para mim todas as diversidades são importantes e não consigo dar mais peso para uma só por eu fazer parte dela. Tenho a sorte de trabalhar com pessoas inteligentes e esclarecidas, de forma que o dia-a-dia nunca me gerou qualquer tipo de estresse ou distanciamento da equipe por questões relacionadas à cor. Me sinto tão integrado quanto é possível para um introvertido sentir.”

 

, comenta Rodrigo Neves, Sócio-fundador e programador da Epopéia. Jana Beatriz, estudante de Jogos Digitais e artista freelancer complementa falando sobre sua rotina.

 

“Eu me percebo como minoria nos locais que frequento, mas vejo isso como forma de chamar demais pessoas a frequentarem estes locais. É algo do tipo ‘Eu posso, viu? Vocês também podem!’. Já no trabalho, meu dia a dia de é tranquilo, busco entender as demandas e executá-las da melhor forma cabível. Me sinto respeitada e tenho confiança nas pessoas com as quais trabalho.”

 

Algumas iniciativas, tanto pequenas e locais quanto realizadas por instituições e órgãos de maior abrangência, vem sendo cada vez mais realizadas e divulgadas. Porém, muitas vezes essa divulgação não é tão efetiva, chega a pequenos grupos ou é pouco compartilhada, fazendo com que os beneficiados tenham que estar o tempo todo muito bem informados e em busca dos incentivos.

 

“Hoje em dia tenho estado mais desligado nesses assuntos, até porque muitas vezes a informação para essas coisas só aparece para quem realmente vai em busca. Mas nos tempos de faculdade, por exemplo, fui ProUnista, e isso me ajudou muito a poder cursar algo que eu gostava, o que abriu muitas portas na minha carreira profissional.”

 

, afirma Felipi Macedo, tech artist da Monster Crossing Studio. Jana reforça a necessidade de maiores iniciativas:

 

“Conheço poucos eventos gratuitos. O AfroPython e o Django Girls são workshops de programação focados à comunidade negra e à comunidade feminina, respectivamente. Não consigo pensar em nenhum outro movimento do tipo focado a jogos.”

 

Cada indivíduo, independente de raça ou gênero, tem suas lutas pessoais, seus desenvolvimentos como profissionais, e muitas vezes fazem parte de uma luta maior. É o caso de qualquer profissional da indústria de jogos, que luta diariamente para maior inclusão do setor nos movimentos culturais e como mercado de desenvolvimento sustentável. Muito além disso está o profissional de jogos negro, que luta pelo reconhecimento não somente do setor, mas de si próprio inserido na sociedade. 

 

“Muito orgulho por fazer parte da comunidade gaúcha de desenvolvedores de jogos, mas ao mesmo tempo ainda não é uma cena a ser comemorada, diante do número de negros na indústria local. Somos um reflexo de nossa sociedade que não reconhece totalmente a necessidade de determinados incentivos. Entretanto, reforço a importância da representatividade e sigo lutando e sendo voz para construir a indústria local com respeito, reflexão e conhecimento, tão necessários para uma sociedade justa e evoluída. Ainda há  muito pelo que lutar, e muito a conquistar.”

 

reflete Guilherme Gonçalves, Diretor de Arte e sócio da Hermit Crab.

 

“Acho que, se não for possível estar engajado em ações sociais, pelo menos a gente tem que estar trabalhando e mostrando a cara. O simples fato de vermos pessoas com as quais nos identificamos fazendo trabalhos incríveis e ganhando sua notoriedade com isso já é super inspirador pra quem quer seguir o mesmo caminho.”

 

, adiciona Felipi. Por fim, Rodrigo completa:

 

“Entendo que o melhor que posso fazer é dar o exemplo, como acredito que se aplique para qualquer área de atuação: persistir, crescer, educar, gerar oportunidades, alcançar um sucesso associado à felicidade. Esse tipo de inspiração para as próximas gerações é a forma mais forte e natural de representatividade.”

 

Abragames e Selo da Diversidade

 

 

 

 

O Selo de Apoio e Incentivo à Diversidade é um instrumento criado para prestigiar e evidenciar ações relacionadas à produção de jogos no Brasil. Essas ações são entendidas como a realização de eventos e apoios a patrocínios que ajudem a difundir a cultura do respeito e da igualdade nos ambientes de estudo e trabalho da indústria de jogos em território nacional, através da oportunidade de inclusão dos grupos descritos aqui como minorias representativas.

 

O Selo está disponível nas categorias: Evento, Patrocínio, Empresas Associadas.

Essa premiação está dividida em certificações relativas a cada grupo de minorias, e são elas: Diversidade de Gênero, Diversidade LGBTQI+, Diversidade Racial, Diversidade e Inclusão de Pessoa com Deficiência – PcD.

 

Saiba mais em: http://www.abragames.org/selo-da-diversidade.html

 

Redação: Mau Salamon

Semana de Workshops visa capacitar a produção dos Jogos em andamento no mercado gaúcho

Dia 04 de novembro inicia a semana de workshops promovida pela ADJogosRS, em parceria com o SEBRAE e o RS Criativo. Na semana, serão trabalhados diversos workshops, técnicos e mercadológicos, com profissionais experientes do cenário de desenvolvimento de jogos gaúcho. 

 

“Os workshops são cruciais para evolução dos jogos gaúchos. O principal objetivo é, obviamente, a capacitação. Queremos melhorar o planejamento tanto de produção quanto empresarial, financeiro, dos projetos em desenvolvimento, para proporcionarmos um 2020 sustentável a esses projetos.”

 

destaca Ivan Sendin, Diretor Executivo da associação.

 

A agenda começa na segunda-feira, quando Vitor Leães abordará o tema do desenvolvimento e lançamento de jogos multiplataforma, falando de PS4, Xbox, Switch e Steam. Já na terça-feira, Klos Cunha falará sobre pré-produção e game design, abordando assuntos como cultura de estúdio, pilares, metodologias e documentações. A semana segue com Eduardo Neto trabalhando os mandamentos do F2P e o mercado mobile, na quarta-feira. Já na quinta, será a vez de Raphael Baldi especializar as equipes de programação, trazendo diversos assuntos já abordados nas mentorias realizadas durante o ano. Fechando a semana, Guilherme Da Cas trará assuntos e dinâmicas relacionados a arte, como direção de arte e soluções utilizadas no dia-a-dia.

 

O presidente da ADJogosRS, Everton Baumgarten Vieira, comenta:

 

“Acredito que a semana de workshops, além das missões internacionais, é um dos momentos mais importantes para as associadas no ano. Diferentemente das missões, os workshops são mais acessíveis para quaisquer associados, sejam empresas grandes, pequenas, ou até mesmo profissionais autônomos.”

 

Everton reforça, ainda, a importância das capacitações para o futuro do mercado gaúcho:

 

“A curadoria do conteúdo a ser abordado foi um processo que dedicamos tempo, e a ideia é fazermos imersão nestes assuntos com os associados. Estaremos dando um grande salto de qualidade nas capacitações com este modelo.”

 

O evento é gratuito para as empresas associadas à ADJogosRS que estão dentro do projeto Global. Para as associadas que não estão no programa, o valor é de R$ 1.000,00. As empresas podem levar quantos funcionários tiverem interesse. Também é possível profissionais individuais associados adquirirem ingressos avulsos para os dias que desejarem participar. Mais informações podem ser adquiridas através do email executivo.adjogosrs@gmail.com.

 

Redação: Mau Salamon

1º Playteste oficial ADjogosRS

No próximo sábado, dia 12 de outubro, ocorre o 1º Playteste oficial realizado pela ADJogosRS. O evento é parte do programa de capacitação da indústria local realizado pela ADJogosRS, que conta com a participação das empresas associadas em uma rodada de testes e feedbacks dos jogos produzidos ou em produção. Durante este ano, foram realizados alguns eventos locais que serviram como preparação para este primeiro playteste oficial.

“Este é um evento que é resultado de muita preparação e projeto da associação. Playteste é uma etapa muito importante e carente na indústria brasileira, e profissionalizar o feedback é essencial para entender as melhorias em relação à percepção do público. Isso vale para qualquer indústria criativa, como acontece no cinema, e acontece também em jogos.”

, destaca Everton Baumgarten Vieira, co-fundador da Izyplay e presidente da associação.

“O evento viabilizará ainda a aproximação do público consumidor, dos estudantes e das empresas desenvolvedoras, e o contato do mercado com seus produtos.”

, completa.

Neste evento, pelo menos 10 jogos serão testados, com cerca de 12 empresas participantes. O objetivo principal do evento é aprimorar não só os jogos em desenvolvimento pelas empresas que fazem parte da associação, mas também o comportamento das próprias empresas perante a indústria. Para isso, além das rodadas de teste e feedback, pelo menos 5 jogos terão apresentação de pitch, ou seja, as empresas responsáveis pelo desenvolvimento deles aproveitarão a oportunidade para simular uma venda comercial, avaliada pelas demais empresas, apresentando detalhes do jogo, suas oportunidade e seus valores de mercado.

“É um evento relevante para darmos continuidade à capacitação e à validação da indústria local, seja de quem já é profissionais da área ou de estudantes.”

, destaca Guilherme Gonçalves, co-fundador da Hermit Crab e membro conselheiro da associação. O playteste ocorrerá na unidade da Uniritter, dentro do Iguatemi, em Porto Alegre, das 13:30 às 20:30. Qualquer pessoa, independente de ser estudante ou profissional do mercado de jogos, pode ir testar os jogos. A entrada é gratuita.

 

Redação: Mau Salamon

Vem aí a 3ª edição da Women Game Jam Brasil, em duas cidades gaúchas

Dos dias 13 a 15 de setembro, acontece a 3ª edição da Women Game Jam Brasil, maratona de desenvolvimento de jogos focada no público feminino. O evento do Rio Grande do Sul, que nesta edição acontecerá simultaneamente em Porto Alegre e Novo Hamburgo, atingiu recentemente alcance internacional, tendo sido realizado de 7 a 9 de setembro na Argentina, Chile, Colômbia, México e Peru.

A WGJ é organizada por entusiastas, estudantes e profissionais da indústria de games e tem como principal objetivo o aumento da visibilidade às desenvolvedoras e futuras desenvolvedoras de jogos, sejam mulheres cis, trans ou pessoas não-binárias, além é claro de incentivar a aquisição de conhecimento na área e o networking entre participantes. A ADJogosRS é apoiadora do evento, fornecendo a integração das empresas associadas como mentores dos grupos participantes. Ivan Sendin, Diretor Executivo da associação e representante da associada Epopeia, destaca a importância do evento:

“A Women Game Jam é um evento de grande importância para o cenário de desenvolvimento de jogos, pois busca reduzir a desigualdade entre desenvolvedoras e o mercado. Isso ajuda a aproximar mais a indústria de jogos das pessoas e a demonstrar a qualidade e o potencial que temos no Rio Grande do Sul, independente de gênero, raça ou qualquer identificação.”

Além das mentorias, a ADJogosRS fornecerá aos grupos participantes que desejarem tornar empresas associadas, bolsas de até 50% da mensalidade de associação no primeiro ano.

“Sabemos que muitas empresas surgem de Game Jams e esta, em especial, é uma oportunidade excelente para reforçar a entrada de mais mulheres no mercado de games. O subsídio da ADJogos ajudará, ainda, a inserir estas novas empresas em diversas ações de incentivo e negócios que realizamos.”

reforça Mau Salamon, membro convidado do conselho da associação e representante da associada Monster Crossing.

Em Porto Alegre, o evento acontecerá no espaço de coworking Fábrica do Futuro e, em Novo Hamburgo, no HUB ONE, no Feevale Techpark.

Fotos da 2ª edição da WGJ

O que é uma Game Jam?

Basicamente, uma Game Jam é um evento semelhante e uma gincana, onde em 48 horas (caso da Game Jam Plus) os times, compostos geralmente por 2 a 5 pessoas, devem desenvolver um jogo, da pré-produção à apresentação de um pitch comercial. O apelo de desenvolvimento em curto prazo é muito semelhante a uma entrega real de mercado, com a dedicação exigida pela indústria. É uma excelente oportunidade para mostrar as qualidades de quem quer entrar profissionalmente no mercado de jogos.

Redação: Mau Salamon

ADJogosRS terá 6 empresas representando o mercado gaúcho na delegação brasileira para a Gamescom 2019

A Gamescom é uma feira anual de jogos que acontece em Colônia, na Alemanha. Uma das mais importantes feiras de jogos do mundo, é organizada pela Bundesverband Interaktive Unterhaltungssoftware. A feira divide-se em dois segmentos, um voltado para o público final B2C – evento similar a nossa BGS (Brasil Game Show) – e outro para a indústria, B2B. Mas, nos últimos anos, a feira se tornou a maior referência para quem procura novos negócios dentro desta indústria.

Delegação da ADJogosRS na Gamescom 2018

Ampliando a gama de empresas que participarão do evento em relação ao ano passado, a delegação da ADJogosRS em 2019 contará com 6 empresas no evento em Colônia. São elas Epopeia, Southbox, Canvas, Aquiris, Izyplay e Hermit Crab. Como meta, o diretor executivo da associação, Ivan Sendin, destaca o fomento e a ampliação dos novos negócios em games para o estado.

“O objetivo principal da delegação é trazer investimento para as cidades do RS. Algumas empresas vão com foco em mobile, já outras vão buscar negócios com jogos de PC. Temos uma boa variedade de nichos no mercado de jogos que estarão representados na Gamescom.”

, comenta Ivan. Já o presidente da ADJogosRS, Everton Baumgarten, reforça a importância de participar do evento como associação.

“A quantidade de empresas gaúchas na indústria de jogos vem crescendo e, para nós, representar uma associação com números como os nossos é tão importante quanto a participação de cada empresa individualmente. Sabemos de alguns contatos que possuem interesse em parcerias com associações, então um dos nossos focos é entender que tipo de negócios podemos fazer com eles e como isso pode aprimorar ainda mais o nosso mercado.”

No ano passado, a ADJogosRS contou com parcerias como o Governo do RS, SEBRAE e Brazil Games, trazendo um grande investimento para o setor, com um retorno de aproximadamente 500% em relação ao valor investido. Assim, pode-se dizer que o objetivo deste ano é, através de apoios como SEBRAE, com subsídio de 30% das passagens, e Secretaria de Desenvolvimento do estado, com investimento nos estandes das empresas gaúchas dentro do estande da Brazil Games (programa de exportação da ABRAGAMES com APEX), melhorar ainda mais estes números.

A Gamescom este ano ocorre dos dias 20 a 24 de agosto e mais informações podem ser obtidas no site oficial do evento: https://www.gamescom.global/.

Redação: Mau Salamon

ADJogosRS reúne 3 cidades para a etapa regional da Game Jam Plus 2019

 

Dos dias 02 a 04 de agosto, ocorre a Game Jam Plus 2019. O evento, que este ano tomou escala mundial e terá ao todo mais de 35 cidades participantes, teve dentre os vencedores de 2018 uma equipe gaúcha. Este ano, o Rio Grande do Sul terá, através de parcerias locais, três cidades sediando o evento, que elencarão um vencedor do RS através de júri e outro através de voto popular. Os vencedores disputarão a final nacional, que ocorre em novembro no Rio de Janeiro. Dentre as cidades participantes, Porto Alegre, Rio Grande e Caxias do Sul, a previsão é de que cerca de 100 participantes disputem a premiação.

O diretor executivo da ADJogosRS, Ivan Sendin, destaca a importância do evento para a associação e o alinhamento de expectativas para setor de jogos no Rio Grande do Sul.

“O evento tem um destaque no sentido que motiva os estudantes a colocarem em prática o que aprendem nas universidades, além do que muitas empresas surgem após a criação de jogos em Game Jam. Um segundo ponto que pode ser destacado é o reforço de parcerias da ADJogosRS, tanto para realização do evento quanto para a execução de mentorias após após a participação.”

, destaca Ivan, organizador da sede de Porto Alegre. A Game Jam na capital ocorre com parceria da UniRitter como sede do local. Já Mau Salamon, da associada Monster Crossing, organizador da sede de Caxias do Sul, reforça a importância da participação da cidade.

“Temos feito um trabalho muito grande de fomento da indústria de jogos aqui na serra. Iniciamos a cultura de Game Jam local e a inserção no cenário da Plus reforça a evolução que Caxias está tendo na indústria criativa e a seriedade com que encaramos o mercado de jogos.”.

Como premiação local, a parceria com a Universidade de Caxias do Sul garantirá ao vencedor da cidade R$ 12 mil em créditos estudantis para serem usados nos cursos de extensão, incluindo línguas, da universidade.

Qualquer pessoa pode participar da Jam, sejam desenvolvedores, programadores, artistas, gestores, profissionais de marketing, músicos, etc. Os ingressos são acessíveis, R$ 35,00 em Porto Alegre e Caxias, gratuitas em Rio Grande, e o montante arrecadado servirá para custear a ida de um dos membros do time vencedor para o Rio de Janeiro. A sede de Rio Grande conta ainda com uma ação social, onde através das entradas gratuitas permitirá o acesso de jovens do ensino público ao desenvolvimento de jogos.

“A Game Jam + será a primeira Jam dos alunos do projeto social Press Start, em conjunto com a FURG. Neste projeto, capacitamos os jovens de escola pública para iniciar na profissão de game designer.”

, comenta Rodrigo Grego, da Xondaro, organizador da sede de Rio Grande.

O que é uma Game Jam?

Basicamente, uma Game Jam é um evento semelhante e uma gincana, onde em 48 horas (caso da Game Jam Plus) os times, compostos geralmente por 2 a 5 pessoas, devem desenvolver um jogo, da pré-produção à apresentação de um pitch comercial. O apelo de desenvolvimento em curto prazo é muito semelhante a uma entrega real de mercado, com a dedicação exigida pela indústria. É uma excelente oportunidade para mostrar as qualidades de quem quer entrar profissionalmente no mercado de jogos.

Redação: Mau Salamon

Delegação da ADJogosRS participará do BIG Festival 2019

Está chegando o BIG Festival 2019, um dos maiores eventos de jogos da América Latina. O evento, que conta com duas frentes principais, a premiação de jogos e a rede de negócios, ocorre dos dias 26 a 30 de junho, em São Paulo.

Nesta edição, 22 empresas associadas à ADJogosRS formarão a delegação que participará do evento. Para Everton Baumgarten Vieira, presidente da associação, o grande potencial do evento é a possibilidade de novos negócios e o networking.

“O matchmaking do BIG possibilita novos negócios, ou pelo menos, o início de um relacionamento de mercado, um primeiro contato que futuramente pode gerar novas oportunidades para as empresas.”

, indica Everton. O presidente destaca, ainda, a importância de um evento deste tamanho estar acessível para empresas que estão começando sua jornada.

“O BIG é um evento de qualidade internacional e está acessível para nós. Com um investimento baixo, os associados podem iniciar uma relação com empresas da Europa e Asia.”

Já há alguns meses, a ADJogosRS reforça a importância de as empresas que forem apresentar seus projetos construirem um bom pitch. Essa preocupação com uma boa apresentação dos jogos foi reforçada nos ultimos meses, através de eventos com exposição e encontros de playtest com mesa redonda sobre o tema. Estes eventos foram realizados presencialmente para os membros da associação.

O diretor executivo, Ivan Sendin, fala também sobre a qualidade da delegação nesta edição.

“Para o BIG 2019, os associados estão mais seguros e preparados, muitos já lançaram alguns jogos e tem uma noção do mercado. Já os jogos ainda não lançados e as empresas novas estão com bons protótipos, além de pitchs e apresentações melhores, pois viemos reforçarmos a importância de apresentar efetivamente um produto.”

Para a ida ao BIG Festival deste ano, a ADJogosRS contou com uma parceria junto ao SEBRAE, que viabilizou subsídio de ingresso e passagem para os associados.

Delegação da ADJogosRS no BIG Festival 2018.

O mercado gaúcho em visibilidade e expansão.

Duas empresas gaúchas se destacaram com seus jogos e estarão concorrendo à premiação do BIG Festival este ano. A Epopeia Games, através do jogo Goroons, disputa os prêmios de “Melhor Jogo Brasileiro” e “Melhor Multiplayer“. Já a Rockhead Studios, através da consagrada franquia Starlit e a versão “Starlit On Wheels”, concorrerá aos prêmios de “Melhor Jogo Brasileiro“, “Melhor Jogo Infantil” e “Melhor Jogo Mobile“. Estamos na torcida por aqui!

Redatores: Sthéfany Leão e Mau Salamon

Associação de jogos digitais gaúcha sob nova direção – 2019

Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais do Rio Grande do Sul – A ADJogosRS, realizou em dezembro a eleição que determina sua nova gestão, nomeando Everton Baumgarten Vieira, da empresa Izyplay, como presidente e Orlando Fonseca Jr, CEO da empresa Imgnation, como vice-presidente. Com a iniciação de um novo ciclo de gestão, a associação estará apostando em um dos principais pilares de sua estruturação para solidificar o mercado de games gaúcho

“A principal meta da ADJogosRs este ano está relacionada a capacitação, onde o foco é providenciar acesso fácil a cursos de qualidade para os associados. Serão ao todo 15 cursos durante o ano de 2019, abordando assuntos que vão desde o técnico avançado a gestão empresarial. O processo também abrange mentorias com profissionais de renome mundial.”

– destaca Everton Vieira, atual presidente da ADJogosRS e diretor de criação e sócio fundador da Izyplay Game Studio.

“Fomentar a maturidade nas empresas, transformar jogos feitos por amor em realmente produtos que gerem retorno financeiro e experiência para elas! Com nossas parcerias em capacitação de produto, mercado e participação em grandes eventos podem gerar isso.”

– reforça Ivan Sendin, atual Diretor Executivo e Financeiro da associação.

O processo eleitoral nomeou como conselheiros o Guilherme Pinto Gonçalves, Cofundador da Hermit Crab, Daniel Merkel, diretor criativo da empresa South Box Studio e Eduardo Saffer Medvedovski da empresa Canvas Mobile Game, mantendo Ivan Sendin Silveira, sócio- fundador da empresa Epopeia, como Diretor Executivo e Financeiro.

“Como Presidente, uma das minhas principais ações é elevar o nível técnico das empresas, trazendo junto uma melhor visão de mercado de jogos”

– defende Everton Vieira, atual presidente da associação de desenvolvedores gaúcha.

 

Diretoria ADJogos 2019

Everton Baumgarten Vieira
Presidente

Orlando Fonseca Jr.
Vice-presidente

Ivan Sendin Silveira
Diretor Executivo e Financeiro

 

Guilherme Pinto Gonçalves, Daniel Merkel e Eduardo Saffer Medvedovski
Conselheiros

 

 

Redatores: Sthéfany Leão e Mau Salamon