Vem aí a 3ª edição da Women Game Jam Brasil, em duas cidades gaúchas

Dos dias 13 a 15 de setembro, acontece a 3ª edição da Women Game Jam Brasil, maratona de desenvolvimento de jogos focada no público feminino. O evento do Rio Grande do Sul, que nesta edição acontecerá simultaneamente em Porto Alegre e Novo Hamburgo, atingiu recentemente alcance internacional, tendo sido realizado de 7 a 9 de setembro na Argentina, Chile, Colômbia, México e Peru.

A WGJ é organizada por entusiastas, estudantes e profissionais da indústria de games e tem como principal objetivo o aumento da visibilidade às desenvolvedoras e futuras desenvolvedoras de jogos, sejam mulheres cis, trans ou pessoas não-binárias, além é claro de incentivar a aquisição de conhecimento na área e o networking entre participantes. A ADJogosRS é apoiadora do evento, fornecendo a integração das empresas associadas como mentores dos grupos participantes. Ivan Sendin, Diretor Executivo da associação e representante da associada Epopeia, destaca a importância do evento:

“A Women Game Jam é um evento de grande importância para o cenário de desenvolvimento de jogos, pois busca reduzir a desigualdade entre desenvolvedoras e o mercado. Isso ajuda a aproximar mais a indústria de jogos das pessoas e a demonstrar a qualidade e o potencial que temos no Rio Grande do Sul, independente de gênero, raça ou qualquer identificação.”

Além das mentorias, a ADJogosRS fornecerá aos grupos participantes que desejarem tornar empresas associadas, bolsas de até 50% da mensalidade de associação no primeiro ano.

“Sabemos que muitas empresas surgem de Game Jams e esta, em especial, é uma oportunidade excelente para reforçar a entrada de mais mulheres no mercado de games. O subsídio da ADJogos ajudará, ainda, a inserir estas novas empresas em diversas ações de incentivo e negócios que realizamos.”

reforça Mau Salamon, membro convidado do conselho da associação e representante da associada Monster Crossing.

Em Porto Alegre, o evento acontecerá no espaço de coworking Fábrica do Futuro e, em Novo Hamburgo, no HUB ONE, no Feevale Techpark.

Fotos da 2ª edição da WGJ

O que é uma Game Jam?

Basicamente, uma Game Jam é um evento semelhante e uma gincana, onde em 48 horas (caso da Game Jam Plus) os times, compostos geralmente por 2 a 5 pessoas, devem desenvolver um jogo, da pré-produção à apresentação de um pitch comercial. O apelo de desenvolvimento em curto prazo é muito semelhante a uma entrega real de mercado, com a dedicação exigida pela indústria. É uma excelente oportunidade para mostrar as qualidades de quem quer entrar profissionalmente no mercado de jogos.

Redação: Mau Salamon

ADJogosRS terá 6 empresas representando o mercado gaúcho na delegação brasileira para a Gamescom 2019

A Gamescom é uma feira anual de jogos que acontece em Colônia, na Alemanha. Uma das mais importantes feiras de jogos do mundo, é organizada pela Bundesverband Interaktive Unterhaltungssoftware. A feira divide-se em dois segmentos, um voltado para o público final B2C – evento similar a nossa BGS (Brasil Game Show) – e outro para a indústria, B2B. Mas, nos últimos anos, a feira se tornou a maior referência para quem procura novos negócios dentro desta indústria.

Delegação da ADJogosRS na Gamescom 2018

Ampliando a gama de empresas que participarão do evento em relação ao ano passado, a delegação da ADJogosRS em 2019 contará com 6 empresas no evento em Colônia. São elas Epopeia, Southbox, Canvas, Aquiris, Izyplay e Hermit Crab. Como meta, o diretor executivo da associação, Ivan Sendin, destaca o fomento e a ampliação dos novos negócios em games para o estado.

“O objetivo principal da delegação é trazer investimento para as cidades do RS. Algumas empresas vão com foco em mobile, já outras vão buscar negócios com jogos de PC. Temos uma boa variedade de nichos no mercado de jogos que estarão representados na Gamescom.”

, comenta Ivan. Já o presidente da ADJogosRS, Everton Baumgarten, reforça a importância de participar do evento como associação.

“A quantidade de empresas gaúchas na indústria de jogos vem crescendo e, para nós, representar uma associação com números como os nossos é tão importante quanto a participação de cada empresa individualmente. Sabemos de alguns contatos que possuem interesse em parcerias com associações, então um dos nossos focos é entender que tipo de negócios podemos fazer com eles e como isso pode aprimorar ainda mais o nosso mercado.”

No ano passado, a ADJogosRS contou com parcerias como o Governo do RS, SEBRAE e Brazil Games, trazendo um grande investimento para o setor, com um retorno de aproximadamente 500% em relação ao valor investido. Assim, pode-se dizer que o objetivo deste ano é, através de apoios como SEBRAE, com subsídio de 30% das passagens, e Secretaria de Desenvolvimento do estado, com investimento nos estandes das empresas gaúchas dentro do estande da Brazil Games (programa de exportação da ABRAGAMES com APEX), melhorar ainda mais estes números.

A Gamescom este ano ocorre dos dias 20 a 24 de agosto e mais informações podem ser obtidas no site oficial do evento: https://www.gamescom.global/.

Redação: Mau Salamon

ADJogosRS reúne 3 cidades para a etapa regional da Game Jam Plus 2019

 

Dos dias 02 a 04 de agosto, ocorre a Game Jam Plus 2019. O evento, que este ano tomou escala mundial e terá ao todo mais de 35 cidades participantes, teve dentre os vencedores de 2018 uma equipe gaúcha. Este ano, o Rio Grande do Sul terá, através de parcerias locais, três cidades sediando o evento, que elencarão um vencedor do RS através de júri e outro através de voto popular. Os vencedores disputarão a final nacional, que ocorre em novembro no Rio de Janeiro. Dentre as cidades participantes, Porto Alegre, Rio Grande e Caxias do Sul, a previsão é de que cerca de 100 participantes disputem a premiação.

O diretor executivo da ADJogosRS, Ivan Sendin, destaca a importância do evento para a associação e o alinhamento de expectativas para setor de jogos no Rio Grande do Sul.

“O evento tem um destaque no sentido que motiva os estudantes a colocarem em prática o que aprendem nas universidades, além do que muitas empresas surgem após a criação de jogos em Game Jam. Um segundo ponto que pode ser destacado é o reforço de parcerias da ADJogosRS, tanto para realização do evento quanto para a execução de mentorias após após a participação.”

, destaca Ivan, organizador da sede de Porto Alegre. A Game Jam na capital ocorre com parceria da UniRitter como sede do local. Já Mau Salamon, da associada Monster Crossing, organizador da sede de Caxias do Sul, reforça a importância da participação da cidade.

“Temos feito um trabalho muito grande de fomento da indústria de jogos aqui na serra. Iniciamos a cultura de Game Jam local e a inserção no cenário da Plus reforça a evolução que Caxias está tendo na indústria criativa e a seriedade com que encaramos o mercado de jogos.”.

Como premiação local, a parceria com a Universidade de Caxias do Sul garantirá ao vencedor da cidade R$ 12 mil em créditos estudantis para serem usados nos cursos de extensão, incluindo línguas, da universidade.

Qualquer pessoa pode participar da Jam, sejam desenvolvedores, programadores, artistas, gestores, profissionais de marketing, músicos, etc. Os ingressos são acessíveis, R$ 35,00 em Porto Alegre e Caxias, gratuitas em Rio Grande, e o montante arrecadado servirá para custear a ida de um dos membros do time vencedor para o Rio de Janeiro. A sede de Rio Grande conta ainda com uma ação social, onde através das entradas gratuitas permitirá o acesso de jovens do ensino público ao desenvolvimento de jogos.

“A Game Jam + será a primeira Jam dos alunos do projeto social Press Start, em conjunto com a FURG. Neste projeto, capacitamos os jovens de escola pública para iniciar na profissão de game designer.”

, comenta Rodrigo Grego, da Xondaro, organizador da sede de Rio Grande.

O que é uma Game Jam?

Basicamente, uma Game Jam é um evento semelhante e uma gincana, onde em 48 horas (caso da Game Jam Plus) os times, compostos geralmente por 2 a 5 pessoas, devem desenvolver um jogo, da pré-produção à apresentação de um pitch comercial. O apelo de desenvolvimento em curto prazo é muito semelhante a uma entrega real de mercado, com a dedicação exigida pela indústria. É uma excelente oportunidade para mostrar as qualidades de quem quer entrar profissionalmente no mercado de jogos.

Redação: Mau Salamon

Delegação da ADJogosRS participará do BIG Festival 2019

Está chegando o BIG Festival 2019, um dos maiores eventos de jogos da América Latina. O evento, que conta com duas frentes principais, a premiação de jogos e a rede de negócios, ocorre dos dias 26 a 30 de junho, em São Paulo.

Nesta edição, 22 empresas associadas à ADJogosRS formarão a delegação que participará do evento. Para Everton Baumgarten Vieira, presidente da associação, o grande potencial do evento é a possibilidade de novos negócios e o networking.

“O matchmaking do BIG possibilita novos negócios, ou pelo menos, o início de um relacionamento de mercado, um primeiro contato que futuramente pode gerar novas oportunidades para as empresas.”

, indica Everton. O presidente destaca, ainda, a importância de um evento deste tamanho estar acessível para empresas que estão começando sua jornada.

“O BIG é um evento de qualidade internacional e está acessível para nós. Com um investimento baixo, os associados podem iniciar uma relação com empresas da Europa e Asia.”

Já há alguns meses, a ADJogosRS reforça a importância de as empresas que forem apresentar seus projetos construirem um bom pitch. Essa preocupação com uma boa apresentação dos jogos foi reforçada nos ultimos meses, através de eventos com exposição e encontros de playtest com mesa redonda sobre o tema. Estes eventos foram realizados presencialmente para os membros da associação.

O diretor executivo, Ivan Sendin, fala também sobre a qualidade da delegação nesta edição.

“Para o BIG 2019, os associados estão mais seguros e preparados, muitos já lançaram alguns jogos e tem uma noção do mercado. Já os jogos ainda não lançados e as empresas novas estão com bons protótipos, além de pitchs e apresentações melhores, pois viemos reforçarmos a importância de apresentar efetivamente um produto.”

Para a ida ao BIG Festival deste ano, a ADJogosRS contou com uma parceria junto ao SEBRAE, que viabilizou subsídio de ingresso e passagem para os associados.

Delegação da ADJogosRS no BIG Festival 2018.

O mercado gaúcho em visibilidade e expansão.

Duas empresas gaúchas se destacaram com seus jogos e estarão concorrendo à premiação do BIG Festival este ano. A Epopeia Games, através do jogo Goroons, disputa os prêmios de “Melhor Jogo Brasileiro” e “Melhor Multiplayer“. Já a Rockhead Studios, através da consagrada franquia Starlit e a versão “Starlit On Wheels”, concorrerá aos prêmios de “Melhor Jogo Brasileiro“, “Melhor Jogo Infantil” e “Melhor Jogo Mobile“. Estamos na torcida por aqui!

Redatores: Sthéfany Leão e Mau Salamon

Associação de jogos digitais gaúcha sob nova direção – 2019

Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais do Rio Grande do Sul – A ADJogosRS, realizou em dezembro a eleição que determina sua nova gestão, nomeando Everton Baumgarten Vieira, da empresa Izyplay, como presidente e Orlando Fonseca Jr, CEO da empresa Imgnation, como vice-presidente. Com a iniciação de um novo ciclo de gestão, a associação estará apostando em um dos principais pilares de sua estruturação para solidificar o mercado de games gaúcho

“A principal meta da ADJogosRs este ano está relacionada a capacitação, onde o foco é providenciar acesso fácil a cursos de qualidade para os associados. Serão ao todo 15 cursos durante o ano de 2019, abordando assuntos que vão desde o técnico avançado a gestão empresarial. O processo também abrange mentorias com profissionais de renome mundial.”

– destaca Everton Vieira, atual presidente da ADJogosRS e diretor de criação e sócio fundador da Izyplay Game Studio.

“Fomentar a maturidade nas empresas, transformar jogos feitos por amor em realmente produtos que gerem retorno financeiro e experiência para elas! Com nossas parcerias em capacitação de produto, mercado e participação em grandes eventos podem gerar isso.”

– reforça Ivan Sendin, atual Diretor Executivo e Financeiro da associação.

O processo eleitoral nomeou como conselheiros o Guilherme Pinto Gonçalves, Cofundador da Hermit Crab, Daniel Merkel, diretor criativo da empresa South Box Studio e Eduardo Saffer Medvedovski da empresa Canvas Mobile Game, mantendo Ivan Sendin Silveira, sócio- fundador da empresa Epopeia, como Diretor Executivo e Financeiro.

“Como Presidente, uma das minhas principais ações é elevar o nível técnico das empresas, trazendo junto uma melhor visão de mercado de jogos”

– defende Everton Vieira, atual presidente da associação de desenvolvedores gaúcha.

 

Diretoria ADJogos 2019

Everton Baumgarten Vieira
Presidente

Orlando Fonseca Jr.
Vice-presidente

Ivan Sendin Silveira
Diretor Executivo e Financeiro

 

Guilherme Pinto Gonçalves, Daniel Merkel e Eduardo Saffer Medvedovski
Conselheiros

 

 

Redatores: Sthéfany Leão e Mau Salamon

A E3 como piada dela mesma

 

A E3 tem como papel surpreender, criar expectativas e superá-las. Alimentar o público carente de novos jogos e jornalistas necessitados de hype para vender. Sinceramente, qual a última E3 que tivemos algo parecido com isto? Eu também não lembro…

Este ano tivemos uma das melhores conferências da Microsoft dos últimos anos, pelo simples motivo de ouvirem seu público e apresentarem jogos. Pode parecer redundante, mas nos últimos anos vimos muito mais tecnologias inovadoras e funções que pouco interessavam ao público que só pedia GAMES! Sua nova plataforma, chamada Xbox One X, demonstrou ser apenas um upgrade de hardware desnecessário, que apenas dá suporte à geração 4K e “diminui os loadings”. E assim como ano passado, a Microsoft joga a toalha de exclusivos, lançando seus jogos para o PC simultaneamente.

Na conferência da Sony, sofremos um gelo deles, com pouca interação e poucos títulos cativantes. Tivemos God of War, Shadow of Colossus, Uncharted, Life is strange, e em alguns momentos me perguntei em que ano estávamos, pois os títulos continuam o mesmo. Faltaram videos de gameplay de The Last of Us 2 e Red Dead Redemption 2, que o público aguardava. E, quem diria, o jogo que mais me agradou foi o Homem Aranha da Sony, mostrando um gameplay fluido como suas teias. Tivemos uma grande biblioteca de títulos VR, porém sem o destaque dos anos anteriores. Deixou transparecer que o apelo forte está em títulos AAA e que o máximo que teremos em VR será um simulador de pesca de Final Fantasy XV.

A Nintendo, após anos ignorando a E3  e lançando Nintendo Directs com suas novidades, decidiu se redimir. O primeiro momento foi quando Shigeru Miyamoto subiu no palco da Ubisoft, apresentando um jogo em que une forças com os Rabbids trazendo uma mistura de X-Com e Disgaea. Não bastando esta participação, a Nintendo apresentou uma conferência concisa, visando seu novo videogame Switch e trazendo títulos como Yoshi, Kirby, Mario e Metroid (após anos no limbo).

E os indies? Aonde estão? Sabemos que o mercado Indie cresce ano após ano, mas ao público da E3 não interessa isto. Queremos um show pirotécnico daqueles de deixar Michael Bay abismado; e foi isto que tivemos na primeira e memorável conferência da Devolver Digital. Seus jogos foram apresentados entre momentos de deboche da própria E3, que vão desde trejeitos e frases sempre utilizados, falsidade e seu apelo emocional para arrancar dinheiro do público. Foi ao mesmo tempo a mais real e surreal de toda a E3.

A E3 já possui a fama de “Aqui serão apresentados jogos que vocês não jogarão nos próximos anos”, com o custo enorme de projetos AAA e o tempo necessário para uma boa produção, nos próximos anos veremos gameplays dos mesmo títulos, com pouca empolgação e nenhuma surpresa. Ou alguém ainda acredita que Kingdom Hearts 3 e Final Fantasy VII remake serão lançados em breve?

A cada ano a E3 me surpreende menos, por apresentar sempre o mesmo espetáculo. Temos hoje o maior momento gamer do ano como uma sombra de E3 passadas, e como vimos pela Devolver, todos sabem disto.

 

 

OBS: Esta coluna não representa a opinião da ADJOGOS, e sim a do autor da postagem.